Discriminação em uma boate no México

 Tudo começou depois de um uma semana estressante no México, por motivos de meus problemas crônicos de saúde neuralgia dos trigêmeos, finalmente fiz amizade e fui convidada por colegas para uma discoteca, Adoro sair, mas não é sempre que minha condição de saúde permite. Finalmente, me senti motivada e fui a tal discoteca, de nome La Santa. Assim que cheguei em frente da discoteca, percebi que as duas hostes me olhavam de uma maneira ofensiva, me olhavam e falavam algo entre si, não havia entendido o porque, até que uma delas se dirigiu a um colega e disse que ele, juntamente com seus amigos, poderiam entrar mais eu não... Eu que nunca estive nessa discoteca me senti completamente mal, não vi uma razão imediata para isso na hora, depois minha ficha caiu e minha cara foi no chão... Não vi razão para que elas se entreolharem e rissem de mim, e fiquei chocada, pela maneira em que se pronunciaram. Logo um amigo foi falar, perguntar o porquê, se havia um motivo e pasmem o motivo era minha roupa... Ou na verdade era um motivo escolhido por elas, estava usando um macaquinho com decote e uma longa capa até o chão e um casaco longo. 

Não havia nenhuma restrição quanto ao traje para frequentar esse night club, respeito muito as formalidades e também sei que todo ambiente tem suas próprias regras... Eu estou de viagem no México, não em um País Árabe... Claro que se vou para qualquer lugar do mundo e me comporto exatamente como manda o figurino... No México foi diferente disso. Em nenhuma momento minha roupa esteve vulgar, um pouco sexy sim, mas convenhamos ninguém vai para um night club totalmente coberta, evidentemente que cada lugar merece seu devido respeito, apesar da boate localizado na Av. Masaryk possuir esse nome, muitas meninas que trabalhavam promovendo ou que frequentavam o espaço, se vestiam sim de maneira sexy, e não há nada de anormal nisso. Até porque ninguém deve ser descriminado pela roupa que veste... No dia seguinte contei o episódio a um amigo Mexicano que logo me deu o número de seu amigo que segundo ele era gerente da tal boate, escrevi para ele, falei do  ocorrido, de que gostaria de ir a boate, que queria levar os colegas que havia conhecido. Ele foi atencioso, me pediu desculpas e me pediu o numero de pessoas que queria levar, até ai tudo ok... No dia seguinte fui para a mesma boate e as mesmas hostes fizeram o mesmo, ai então percebi então que a questão não era minha roupa, pois no dia seguinte fui mais comportada possível... Ai vi que havia algo maior e pessoal, às vezes mulheres descriminam mulheres, ou as tratam mal simplesmente por se sentirem superiores. Elas nem sequer se deram o trabalho de falar com o gerente, ou de checar a lista, era uma descriminação gratuita, um jeito superior de meninas que trabalham na frente de uma boate, que as vezes se sentem como donas do estabelecimento... E olha só que ego insignificante, eu fico imaginando se pessoas como essas tivessem poder de verdade... E analisando quantas pessoas são julgadas por sua aparência física ou vestimenta... No meu caso senti como uma reação feminina, mesquinha, que mulheres podem ver outras como rivais eu já sabia, pois sempre passei por situações semelhantes, mas dessa vez resolvi fazer algo...

DENUNCIE

DESCRIMINAÇÃO É CRIME.

 Estamos vivendo numa época diferente, que nós mulheres aprendemos a conviver e amarmos umas às outras e nos colocarmos no lugar uma das outras... Tenho certeza de que nenhuma das duas gostariam de serem tratadas assim... Eu poderia me expor de outra maneira, mas decidi buscar meus direitos junto à procuradoria geral da justiça do México... Há momentos e momentos na vida, sei que isso parece um assunto supérfluo, mas não é quando você se sente descriminada, sem saber de verdade o porque... Aliás, não existe um porque, sei que muitas pessoas não se pronuncia quando são vítimas desse tipo de atitude, por serem gordas, por não terem a aparência ideal dentro da conjuntura estética atual ou financeira.

Falo em nome destes. Desde já agradecida!!!

MULHERES DEVEMOS PARAR DE NOS GLADIAR... COMEÇARMOS A NOS COLOCAR UMA NO LUGAR DA OUTRA... ASSIM APRENDEREMOS COMO TRATAR A MULHER DO LADO.

Discrimination in a discotheque in Mexico

 It all started after a stressful week in Mexico because of my chronic health problems from triplets, I finally made friends and was invited by colleagues to a nightclub, I love going out, but it's not often that my health condition allows. Finally, I felt motivated and went to such a disco, named La Santa. As soon as I arrived in front of the disco, I noticed that the two hosts looked at me in an offensive way, looked at me and talked to each other, did not understand why, until one of them addressed a colleague and said that, together with your friends, could come in more I did not ... I who had never been to this disco felt completely ill, I did not see an immediate reason for it at the time, then my record fell and my face was on the floor ... I saw no reason why they looked at each other and laughed at me, and I was shocked by the way they spoke. Soon a friend was talking, asking why, if there was a reason and amazement the reason was my clothes ... Or was actually a reason chosen by them, was wearing a monkey with a cleavage and a long hood to the floor and a coat long.

There was no restriction on the costume to attend this night club, I respect the formalities and I also know that every environment has its own rules ... I am traveling in Mexico, not in an Arab country ... Of course, if I go to anywhere in the world, and I behave exactly the way the costumes are sent ... In Mexico it was different. At no time did my clothes appear vulgar, a little sexy yes, but let's face it, no one is going to a totally covered night club, evidently that each place deserves its respect, despite the nightclub located at Av. Masaryk, or who frequented space, dressed rather sexy, and there is nothing abnormal about it. Even because no one should be discriminated against by the clothes he wears ... The next day I told the episode to a Mexican friend who soon gave me the number of his friend who, according to him, was the manager of such a nightclub, I wrote him, I told him about it who would like to go to the club, who wanted to take the colleagues he had met. He was attentive, he apologized and asked me for the number of people I wanted to take, so everything was ok ... The next day I went to the same club and the same hosts did the same, then I realized then that the question was not my clothes, because the next day I was as behaved as possible ... Then I saw that there was something bigger and personal, sometimes women discriminate against women, or treat them badly simply because they feel superior. They did not even bother to talk to the manager, or check the list, it was a gratuitous discrimination, a superior way for girls who work in front of a nightclub, who sometimes feel like they own the establishment ... And look how insignificant ego I wonder if people like these have real power ... And analyzing how many people are judged by their physical appearance or dress ... In my case I felt like a mean, female reaction that women can see others as rivals I already knew, because I always went through similar situations, but this time I decided to do something ...

REPORT IT
DISCRIMINATION IS CRIME.

 

 We are living in a different time, that we women learn to live together and love each other and put ourselves in one another's place ... I am sure neither would like to be treated like this ... I could put it another way , But I decided to seek my rights with the Mexican Attorney General's Office ... There are times and moments in life, I know this seems like a superfluous matter, but it's not when you feel discriminated, not really knowing why ... In fact, there is not one because, I know that many people do not pronounce themselves when they are victims of this type of attitude, for being fat, for not having the ideal appearance within the current aesthetic or financial conjuncture.

I am speaking on behalf of these. Thank you!

WOMEN SHOULD STOP HIMSELF... STARTING TO PLACE ONE IN THE PLACE OF THE OTHER... SO WE WILL LEARN HOW TO TREAT THE WOMAN ON THE SIDE.

Discriminación en una discoteca en México

No hubo restricciones en el vestuario para asistir a este club nocturno, respeto las formalidades y también sé que cada ambiente tiene sus propias reglas ... Estoy viajando en México, no en un país árabe ... Por supuesto, si ir a cualquier parte del mundo, y me comporto exactamente como se envían los trajes ... En México era diferente. En ningún momento mi ropa parecía vulgar, un poco sexy sí, pero seamos sinceros, nadie va a un club nocturno totalmente cubierto, evidentemente que cada lugar merece su respeto, a pesar del club nocturno ubicado en Av. Masaryk, o quien frecuentaba el espacio, vestía bastante sexy, y no hay nada anormal al respecto. Incluso porque nadie debería ser discriminado por la ropa que usa ... Al día siguiente le conté el episodio a un amigo mexicano que pronto me dio el número de su amigo que, según él, era el gerente de un club nocturno como ese, Le escribí, le dije al respecto a quién le gustaría ir al club, quién quería llevar a los colegas que había conocido. Él estuvo atento, se disculpó y me preguntó por el número de personas que quería tomar, así que todo estaba bien ... Al día siguiente fui al mismo club y los mismos anfitriones hicieron lo mismo, entonces me di cuenta de que la pregunta no era mi ropa, porque al día siguiente me comporté lo más posible ... Entonces vi que había algo más grande y personal, a veces las mujeres discriminan a las mujeres, o las tratan mal simplemente porque se sienten superiores. Ni siquiera se molestaron en hablar con el gerente, o consultar la lista, era una discriminación gratuita, una forma superior para las chicas que trabajan frente a un club nocturno, que a veces sienten que son propietarias del establecimiento ... Y mira qué insignificante Yo me pregunto si personas como estas tienen verdadero poder ... Y analizando cuántas personas son juzgadas por su apariencia física o vestimenta ... En mi caso, me sentí como una reacción mezquina y femenina de que las mujeres pueden ver a otras como rivales que yo ya conocía , porque siempre pasé por situaciones similares, pero esta vez decidí hacer algo ...

 Todo comenzó después de una semana estresante en México debido a mis problemas crónicos de salud por parte de los trillizos, finalmente me hice amigo y fui invitado por un compañero a un club nocturno, me encanta salir, pero no es frecuente que mi estado de salud lo permita. Finalmente, me sentí motivado y fui a una discoteca como La Santa. Tan pronto como llegué al frente de la discoteca, noté que los dos anfitriones me miraban de forma ofensiva, me miraban y hablaban entre ellos, no entendían por qué, hasta que uno de ellos se dirigió a un colega y dijo: junto con tus amigos, podría venir más no ... Yo que nunca había estado en esta discoteca me sentí completamente enfermo, no vi una razón inmediata para eso en ese momento, entonces mi registro cayó y mi cara estaba en el piso ... No vi ninguna razón por la que se miraron el uno al otro y se rieron de mí, y me sorprendió la forma en que hablaban. Pronto un amigo estaba hablando, preguntando por qué, si había una razón y un asombro, la razón era mi ropa ... O en realidad era una razón elegida por ellos, llevaba un mono con escote y una capucha larga en el piso y un abrigo largo.

REPORTALO
LA DISCRIMINACIÓN ES CRIMEN.

Estamos viviendo en un tiempo diferente, que las mujeres aprendemos a vivir juntas, a amarnos y ponernos en el lugar del otro ... Estoy seguro de que ninguno de los dos quisiera ser tratado así ... Podría decirlo de otra manera, Pero decidí buscar mis derechos en la Procuraduría General de Justicia de México ... Hay momentos y momentos en la vida, sé que esto parece un asunto superfluo, pero no es cuando te sientes discriminado, sin saber realmente por qué ... De hecho , no hay uno porque, sé que muchas personas no se pronuncian cuando son víctimas de este tipo de actitud, por estar gordos, por no tener la apariencia ideal dentro de la actual coyuntura estética o financiera. Estoy hablando en nombre de estos. ¡Gracias!

LAS MUJERES DEBEN DETENERSE ... COMENZAR A COLOCAR UNO EN EL LUGAR DEL OTRO ... ASÍ QUE APRENDEREMOS CÓMO TRATAR A LA MUJER EN EL LADO.